terça-feira, 6 de março de 2018

Conto "Sempre é uma companhia" de Manuel da Fonseca

Manuel da Fonseca, “Sempre é uma companhia”

Metas
Linguagem, estilo e estrutura:
Solidão e convivialidade.

Caracterização das personagens.
Relação entre elas.
Caracterização do espaço: físico, psicológico e sociopolítico.
Importância das peripécias inicial e final.
O conto: unidade de ação; brevidade narrativa; concentração de tempo e espaço; número limitado de personagens;
A estrutura da obra;
Discurso direto e indireto;
Recursos expressivos.


segunda-feira, 5 de março de 2018

Conto - "Famílias desavindas" de Mário de Carvalho

Mário de Carvalho -
“As famílias desavindas”

Linguagem, estilo e estrutura:
História pessoal e história social: as duas famílias.
Valor simbólico dos marcos históricos referidos.
A dimensão irónica do conto.

A importância dos episódios e da peripécia final.

O conto: unidade de ação; brevidade narrativa; concentração de tempo e espaço; número limitado de personagens;
A estrutura da obra;
Discurso direto e indireto;
Recursos expressivos.

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Ideias-chave dos poemas de Mensagem não analisados em aula

O DOS CASTELOS - Primeira parte – Brasão – Os Campos

A Europa jaz, posta nos cotovelos:
De Oriente a Ocidente jaz, fitando,
E toldam-lhe românticos cabelos
Olhos gregos, lembrando.

O cotovelo esquerdo é recuado;
O direito é em ângulo disposto.
Aquele diz Itália onde é pousado;
Este diz Inglaterra onde, afastado,
A mão sustenta, em que se apoia o rosto.

Fita, com olhar esfíngico e fatal,
O Ocidente, futuro do passado.

O rosto com que fita é Portugal.

Þ         A missão de Portugal é fitar o futuro e o mistério e ligar espiritualmente o ocidente e o oriente